domingo, 18 de outubro de 2009

presença

Presença é o acordar pela manhã e buscar o abraço de uma lembrança no travesseiro. Um nome que insiste em ocupar nossos lençóis arrumados e já sem a noite dos que, loucamente, os desarrumaram tanto. Lençóis de manchas outras que, agora, não passam de pequenos círculos transparentes de lágrimas de uma estranha e até doce emoção.
Presença é o sentir a brisa da manhã trazendo o calafrio inexplicável daquele medo bom do primeiro encontro. Olhar a xícara e ver entre sombras intraduzíveis da superfície do leite, o rosto de alguém te insinuando as mesmas promessas bobas. A paz daquele sorriso, com cappuccino e açúcar. É nosso querer bem criando cenas de rara beleza. O fantasma que se senta, sem nenhuma cerimônia, à nossa mesa.
É a angústia de sentir que no vazio da ausência, ficou a marca. Isso é presença. Marca. A impossibilidade de parar com as mãos, essa sombra que o pensamento não consegue apagar.
Presença é um vírus contraído que nunca mais nos desacompanhará. São as nuvens brincando de criar a mesma silhueta no céu. Querer ver o filme outra vez e mais outra. Absurda luz na escuridão do quarto.
Ser obrigado a lembrar de tudo, pelo simples fato de ouvir um barulho na porta. A certeza de que, nesse mesmo instante alguém pensa em nós e lembra as mesmas coisas, ao mesmo tempo, com o coração também apertado pela saudade. E, caso tivesse coragem, contaría-nos esta mesma história.
A dor do saber que nunca mais - é presença.
Presença é querer dormir para ter a possibilidade de encontrar num sonho. Teimosia em inverter a realidade deserta. Ver o sofá da sala totalmente ocupado por ninguém.
Presença é ser capaz de nos preenchermos inteiros de quem já não está. É afrontar a dureza real de uma falta infinita que essa pessoa nos faz. É ler em pétalas de flores, os recados que só nós soubemos.
Alguém a quem tanto amamos é assim. Passe o tempo que passar, aconteça o que acontecer, estará longe ou perto, não importa.
Importa é que teremos, querendo ou não, sua incansável, suave e eterna presença.
.
texto: paulo moreira
imagem: photoforum - rússia

6 comentários:

Milton César Rodrigues Medeiros. disse...

Paulo, parabéns! É belo, real e profundo. Felizes daqueles que tem a sensibilidade para sentir tão intensamente "a presença".
Um abraço.
Milton Medeiros.

KELY DUARTE disse...

Bom dia Paulo, eu sou Kely, esposa do seu sobrinho André, acho que se lembra de mim...
Gostaria de te convidar a conehcer o meu blog, pois é também entrei nesta vida!!!!!
Sou blogueira agora....
Mas então, da uma passadinha lá, postei uma homenagem pra vc....


Até...

KELY DUARTE disse...

Falei, falei e não faeli o blog....

è http://livrosqueli1.blogspot.com

HELENA MARINA disse...

Oi Paulo,
vc como sempre escrevendo mensagens bonitas, parabéns!
Bjos,
Helena

Eloa Braga disse...

Oi, Paulo...
Você é sempre de uma sensibilidade enorme e diz tudo que a gente quer dizer e não encontra como!
Adorei sentir pertinho sua presença!
Beijos!

Um Cantinho para Sonhar disse...

Olá Paulo,
Vim agradecer a tua presença que me encantou, com palavras meigas...!
Juntei todos parágrafos de tua escrita e guardei no coração!
Uma presença amiga é realmente o que precisamos para a nossa vivência, para nossa felicidade!

Parabéns...belíssimo texto!

Obrigada pelo carinho!
Sigo-te com muito prazer.

Suzy