quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

A Flor que fazia poemas

Um dia ainda te mostro as poesias que escrevi
Eram versos da tua ausência - meu coração turbulência
Eram retratos dos meus dias pensando somente em ti
Aqui só ficaram lembranças de quem se entregou sem limites
Meu coração - pura esperança - te ninava como uma criança
Meu corpo – puro desejo - te adorava com paixão
Minha alma - pura entrega - te amava com devoção
Ilusão que o tempo impiedoso cobrou
Sonhos rasgados de um coração cansado
Noites insones, dias sem vida...
De um passado que o tempo esgotou
Sempre hei de levar comigo - a marca que você deixou
Marca entranhada - gravada a fogo
Que um dia nos arrebatou

poesia a 4 mãos e 2 corações em Sol Maior: Pati Frozinha/Tô na esquina

2 comentários:

água cristalina disse...

Lindo esse poema.
A cada dia que aqui venho me surprendo com sua grandeza...
beijosss

Pati disse...

Eiii,rendeu a parceria...vc tá recebendo elogios...vai ter q ter convocação da imprensa...rssss
Ficou lindo,beijos.