quinta-feira, 16 de outubro de 2008

amor criança

Dê-me suas mãos, vem! Brinca comigo nesse caminho maravilhoso das estrelas. Veja a estrada de terra à nossa frente levando até não sei onde. Calce o sapatinho para que nenhuma pedra possa ferir seus pés.
Agora solte esses cabelos e os deixe ao vento. Quero ver seus dentes num sorriso marfim de quem só tem que chegar ao castelo. Enquanto giramos e pulamos numa dança do nosso ritual, a lua mostra teu corpo translúcido dentro do vestido branco - em sua prata luz - e eu admiro a cena como quem vê uma obra de arte em mármore protegida por véus. Veja... somos estátuas que dançam; criaturas de pedra mágica, com coração e pulsar.
A lua ilumina também as flores do campo e reflete no lago enquanto os dois, meio a tudo, percorremos essa planície feito vagalumes. Flor por flor. Linda uma por uma. Os pássaros da noite piam, enquanto os outros dormem tranqüilos. Vejo olhinhos xeretas nos acompanhando o tempo todo.
Fico pensando nos bichinhos que já foram dormir. Preás abraçados meio a moita devem ser muito engraçadinhos. Uma preá de camisolinha deve ser o máximo.
A lua está em seus olhos e só sei sorrir. Senta um pouco aqui na beira do lago, ao meu lado. Na beira oposta, jacarés e suas namoradas – pelo brilho dos zóiões - devem estar fazendo planos de uma vida inteira. O lago parece um espelho que pisca, não é? Não está chovendo: são os peixinhos tomando fôlego. Veja o salto daquele. Uiaaaaaaaaaa. Só pra se mostrar!
Levante, vamos para a cachoeira. Beije meu rosto, pirilampa princesa!
Gosto de andar com as mãos dadas, pois é como se fôssemos caminhar juntos por mil anos e, essa sensação tão doce, gostaria de conservar pela eternidade. Caminhar de almas dadas é ir de encontro à mais pura luz do universo.
Sinto segurança ao seu lado. Com essa vara-espada encontrada no chão, lutarei feroz contra os todos os bichos da escuridão humana. Qualquer dragão - duvida? Adoro quando você bate palmas festejando minha vitória na mais terrível batalha já vista por um ser vivente. Só você presenciou, mas isto me basta. Nós sabemos o significado das nossas vitórias. Puxa, suei; me enxuga a testa.
Precisamos ir urgente para a cachoeira, pois marcamos uma visita àquelas águas que vivem em festa.
Acho que nos amamos, e você? Não responda, só balançe a cabeça se for verdade. Ahn, eu sabia!
Viu como é pertinho? A cachoeira lança faíscas de platina na queda e essa água aqui embaixo represada parece estar muito boa. Faça como eu, deixe as roupas na pedra e pule comigo. Assim.
A noite está quente e a água gelada. Abrace-me e fique comigo juntinho de mim, porque seu menino agora está com frio. Quando a gente gosta, um abraço desse vale a vida. Você fica muito engraçada, toda arrepiada. Já já, passa. Estava com sede e esta água misturada com sua saliva no beijo parece um elixir de felicidade.
Quando puder, vou construir uma casa bem debaixo da clareira. Nossa casinha terá uma lareira para quando o frio chegar. Será que a casa de madeira não tem perigo de pegar fogo também? Vou deixar bem isolada com barro, pois acho que barro não pega fogo.
Até te enxergo cuidando dos nossos dois filhos. Disse-me querer dois, um menino e uma menina. Já pensou se forem gêmeos? Acho que quando a gente pede as crianças, Deus manda. Mas só aqueles que pedem acreditando muito e bastantão, Ele envia do jeito certinho que encomendamos.
Se ficarmos deitados na pedra, daqui a pouquinho estaremos secos e podemos vestir as roupas para continuar. Embora, talvez agora, seja bom uma pausa.
Estou com soninho e acho melhor dormirmos aqui mesmo. Veja as estrelas lá em cima, formando figuras de não sei o quê. Um não sei o quê mais lindo que o outro. Não precisa rir de mim. Não sei o quê é uma coisa que não sei explicar, oras...
Adormece, princesinha, porque o caminho das estrelas só é possível percorrer seguindo os olhos do espírito. Entrelaça o seu coração comigo e não tenha medo. A viagem pelo céu é a viagem mais emocionante que duas crianças podem fazer. Temos mais de mil estrelas por visitar.
Dorme em paz, anjo de luz, para podermos partir agora. Estrelas não podem esperar.
Você dormiu. Mas se, de alguma forma puder me entender, quero que saiba o quanto me faz feliz. Obrigado por mais uma noite inesquecível de amor, que só junto de ti posso ter. Obrigado, mulher que se faz fada e menina - encanto mágico que cria o mundo de nossas fábulas, nosso reino e o melhor território que vivemos na Terra.
Por tentar ensinar-me a ser um sempre-príncipe.
Por fazer de mim, uma criança feliz.
.
texto: paulo moreira

4 comentários:

HELENA MARINA disse...

Paulo,

que lindinho, bom já teci o comentário com vc ontem, e esse texto estava ainda quentinho, né?

A música tb muito gostosinha, dá vontade de virar criança e sair saltitando com a melodia!
Vamos?? ( rss)

Bjos♥ e obrigada pelo seu carinho!

Da sempre,
Lê♥

Daniella Paula disse...

Doce.. =)

Cheiros na alma perfumada!

ESTRELA SELMA disse...

Que lindo seu comentário poético, feito com Alma e Coração!
Obrigada! Adorei e vim lhe ofertar minha amizade. Peço que não percamos o contato, apareça sempre,sim?
Ótimo final de semana.
BEIJÃO
ESTRELA SELMA
estrelaselma33.blogspot.com
ESTRELA:VIVER E AMAR!2

Lidiane Carioca disse...

Olá Paulo!!
Amo,e amei seus texto...Parabéns.
Gostaria de saber onde encontrar seu livro.
Sou de joinville.
Helena Fonseca,mãe da Lidiane Carioca.
Sou a aguiacolorada@hotmail.com